CCXP 2017

CCXP 2017
Um Click no Banner e vá direto para o Site do Evento

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

ENTREVISTA COM A COLECIONADORA MÔNICA KEIMICH - MODERADORA DO CHWB - A FAMOSA MISTERY


A Verdadeira Família Hot Wheels

ENTREVISTA DE HOJE É COM A COLECIONADORA MÔNICA KEIMICH, CASADA, 02 FILHOS, SECRETÁRIA, E QUE TAMBÉM EXERCE A FUNÇÃO DE MODERADORA E COORDENADORA DE EVENTOS DO CLUBE HOT WHEELS BRASIL, SEMPRE ENVOLVIDA EM CAUSAS SOCIAIS E TODOS A CONHECEM COMO MISTERY .

Vamos à entrevista:

1 - Qual foi a sua primeira mini e como a conseguiu?

R.: Minha primeira mini foi um Mainline 1968 Mustang na cor Pink de 2006.


2 - Quando surgiu a paixão pelo colecionismo diecast ?
R.: Na verdade eu não colecionava, sempre gostei desde criança, tinha alguns Matchbox que se perderam com o tempo, quando fiquei grávida do meu filho Gustavo minha cunhada comprava 2 carrinhos por mês e quando ele nasceu já tinha uma boa coleção, as vezes comprava uns carrinhos quando encontrava aquelas piscinas cheias de carrinhos nas lojas de brinquedos mas nunca imaginava que adultos colecionavam até que um dia um vendedor disse ao meu filho que iria ter um encontro de colecionadores no Clube de Regatas Tiete, isso foi em 2006, fui para lá achando que iria encontrar um monte de crianças se arrastando no chão brincando de carrinho quando vi que só tinha adultos fiquei assustada tentando imaginar o que eles queriam com um brinquedo de criança, alguns mostravam suas minis como jóias raras, outros trocavam e vendiam, alguns desmontavam os carrinhos e pintavam ali mesmo, achei todos aqueles malucos criativos mas confesso que sai de lá com medo pois não tinha visto quase nenhuma criança rsss.
Quando voltamos para casa meu filho queria se cadastrar no site dos colecionadores HWC, mas por segurança eu me cadastrei com o apelido MISTERY para não identificar nem ele e nem eu e também escolhi esse nome porque no encontro encontramos alguns blisters escuros achei interessante pois não sabíamos qual era o carrinho que tinha na embalagem, eram os MYSTERY CARS.
Um dia enquanto comprava carrinhos para meu filho encontrei a Mustang 1968 na cor Pink e resolvi comprá-la para colocar sobre minha mesa do computador fiquei curiosa em saber se haviam outros carrinhos nessas cores e voltei a entrar no site de colecionadores para pesquisar e com isso vi que o colecionismo era uma coisa séria comecei a participar mais dos tópicos do fórum tirando dúvidas, e quem sempre me ajudou foi o Ralpho que me apresentou o Clube Hot Wheels Brasil, fui participando, postando alguns artigos, conhecendo vários colecionadores do Brasil inclusive de outros países, ajudando outros membros respondendo suas dúvidas até o dia que o Marcelo DT me convidou para ser moderadora do fórum e fui me envolvendo cada vez mais com o colecionismo.


3 - Quantas miniaturas você tem em sua coleção?
R.: Nunca me preocupei em contar, com certeza tenho 500 minis nos tons de rosa, vermelho e lilás pois tenho 2 maletas de 100 minis cada e mais 3 estantes de 100 minis cada, fora as minis que ficam na estante da televisão, encima do aquário e muitas estão guardadas nas tradicionais caixa de HW.


4 - Você tem uma marca, ou escala preferida, a sua coleção tem um foco definido ?
R.: Compro as que gosto na escala 1:64, dou preferência para as minis nos tons de rosa, vermelho, lilás, mas se alguma mini de outra cor me chama a atenção ela vem para a coleção com certeza, a maioria são Hot Wheels mas tenho de outras marcas também.


5 - Como você acondiciona as suas miniaturas, qual é o cuidado que você tem com elas ?
R.: Em maletas ou estantes próprias, mas muitas ainda estão nas embalagens dentro de caixas por falta de espaço afinal na minha casa somos 3 colecionadores cada um com sua coleção e já temos mais uma no mesmo caminho minha filha mais nova Amanda a competição por quem vai pegar a parede é grande kkk.


6 – Como você consegue as suas miniaturas, através de quais canais você às adquiri ?
R.: As minis mais comuns é na caça do dia a dia em lojas de brinquedos e supermercados, algumas mais difíceis nos encontros de colecionadores ou com a ajuda de amigos que compram lá fora e também presentes de colecionadores e amigos.


7 – Qual a opinião de sua família e amigos com relação ao seu Hobby ?
R.: Como todos da minha família colecionam me apóiam totalmente (só discutimos um pouquinho quando encontramos um só TH), outros parentes já sabem o que dar de presente nos aniversários e curtem muito quando damos alguma entrevista, os amigos a mesma coisa inclusive já influenciei muitos a começar o hobby.





8 - Qual é a sua opinião sobre o momento atual do colecionismo diecast do Brasil e no Mundo ?
R.: Bem tem seu lado bom como também seu lado ruim, mas tudo na vida é assim, na verdade o colecionismo no Brasil tem seus altos e baixos cabe a cada um saber dar e fazer ter a importância que o nosso hobby merece, vejo muitos colecionadores se afastarem do meio, dos encontros por atitudes de outras pessoas, concordo com o pouco apoio dos fabricantes mas não podemos deixar que isso seja uma pedra no caminho do colecionismo temos que saber desviar e encontrar outro caminho e não desistir no meio dele.
O colecionismo no Brasil está mais voltado para o comércio do que a colação em si, ninguém vai num encontro para ver outras coleções, vão para comprar e eu não acho isso errado, só acho que devemos dar um destaque em nossas coleções para que outras pessoas que não conhecem o nosso hobby tenham interesse em colecionar também, de saber a história de cada mini ou coleção, que determinado carrinho por mais estranho que ele seja existe de verdade exemplo Oscar Meyer Wienermobile (carro salsicha) ou que ele tem algo como um apito Mega Thrust, mas isso está perdendo a importância infelizmente.
Com relação ao colecionismo no Mundo, acredito ser mais valorizado que aqui no Brasil, mas não posso falar muito pois não participo ativamente como participo aqui, mas deve ter seu lado ruim afinal tudo em todos os lugares é assim, eu prefiro me focar aqui em terra brazilis.









9 - Você tem uma posição quanto a atuação da Mattel no Brasil ? Qual é na sua opinião a importância desta empresa no colecionismo diecast como um todo ?
R.: Difícil julgar, é uma empresa internacional de grande porte, tem suas metas mas também tem suas dificuldades, erros, regras, temos dois lados nessa história o do consumidor que quer tudo do melhor com o menor preço e do fornecedor que quer vender tudo com o melhor custo benefício, prefiro deixar esse assunto com os empresários e seguir com meu hobby da forma que eu acho melhor.
10 - Qual a empresa que você acha que nos dias atuais poderia ou poderá fazer um trabalho inovador em matéria de colecionaveis ?
R.: Atualmente a que mais se envolve com os colecionadores e colecionáveis é a Semaan e a Coleciona, tanto o Marcelo quanto o Fernando sempre se preocuparam com o colecionismo e sempre apoiaram os colecionadores, encontros e ações e com isso eles tem tudo para inovar a cada dia.










11 - Qual a sua opinião pessoal sobre os Clubes, Comunidades e Fóruns ligados ao Colecionismo Diecast ? Na sua opinião qual a missão dessas organizações ? Você acha que eles estão ultrapassados e precisam ser repaginados ? Em que eles poderiam melhorar ?
R.: Todos têm sua importância, suas qualidades e particularidades, mas deveriam estar mais unidos entre si para valorizar o hobby.
A principal função seria destacar as informações sobre as coleções, novidades e dicas, orientar os novos colecionadores e principalmente esclarecer qual o valor de cada mini evitando assim os exageros nos valores pedidos e pagos por quem está iniciando neste hobby só assim teremos pessoas vendendo minis a preços justos.
Nos dias de hoje temos que estar nos atualizando a cada dia que passa e com essas organizações acontece a mesma coisa precisam estar antenados e atualizados com o mundo moderno.


12 - Você costuma participar de Eventos, Encontros, Feiras e Convenções de Colecionadores Diecast ? Qual destes eventos marcou a sua vida como colecionadora ? Você tem alguma história que tenha ocorrido em um destes eventos ?
R.: Sim, mas vou mais como visitante do que como expositora, o encontro que mais me marcou foi o primeiro que fui para levar meu filho achando que só iria encontrar um monte de crianças se arrastando no chão com os carrinhos no Clube de Regatas Tiete em 2006.
Histórias têm várias, pessoas que falam comigo como se eu fosse funcionária da Mattel, maridos e namorados que me apresentam suas esposas e namoradas pedindo para que explique para elas entenderem o porquê eles gostam tanto de seus carrinhos, de pais que trazem seus filhos e me pedem para explicar o que é colecionar e não estragar os carrinhos.


13 – O que você achou do fechamento do RLC do Brasil e do cancelamento da 4ª Convenção Anual Hot Wheels no Brasil por parte da Mattel do Brasil ?
R.: Eles devem ter tido boas razões ou não para acabar com isso, difícil dizer o por que exatamente, só quem está lá dentro deve saber a razão. Eu lamentei principalmente com o cancelamento das Convenções Anuais.
14 – Quando você pensa em colecionismo diecast no Brasil do que você sente falta, se você pudesse fazer alguma coisa que revoluciona-se o nosso hobby, o que você faria ?
R.: Sinto falta do verdadeiro espírito do colecionismo que além do objetivo de cada coleção que cada um deve ter como colecionar determinado modelo ou cor etc e não só ficar comprando minis por comprar também sinto falta das TROCAS entre colecionadores, a maioria só quer vender, vejo muitos deixaram de ser colecionadores para serem vendedores.
Uma andorinha só não faz verão, todos os colecionadores deveriam ser mais unidos e com certeza isso revolucionaria o hobby, eu sozinha não faço nada mas tento aos poucos melhorar o nosso meio, o que eu faço é ser persistente no meu objetivo que é divulgar o hobby.




15 – Você acha que os colecionadores brasileiros são marginalizados ? ou nós e eu me incluo temos “complexo de vira latas”, ou a coisa não está tão feia quanto dizem ?
R.: É um erro qualificar um colecionador independente do que ele coleciona, do número de peças que ele possui, cada um dá o valor que quer para aquilo que ele coleciona seja 10 ou 10 mil carrinhos, selos, tampinhas de garrafa etc, têm pessoas que colecionam maços de cigarros eu não valorizo porque não gosto de cigarros como esse colecionador pode não curtir a minha coleção de carrinhos, se o colecionador tem só 10 minis das mais caras e outro tem mil carrinhos todos de R$ 5,00 cada, cada um tem seu valor, somos COLECIONADORES e não COMPETIDORES de quem tem mais minis, ou quem tem as minis mais caras ou raras, colecionar seja o que for é um hobby particular, a pessoa só coleciona determinado objeto porque gosta dele e não cabe os outros julgar o que ele coleciona.
Não temos que nos preocupar com o que pensam de nós e de nossas coleções, acho que cada um faz a sua imagem, se pensarem que somos marginalizados com complexo de vira-latas é um pensamento errado pois como disse somos colecionadores e não competidores, a minha coleção é simples não tem nada de tão raro mas é a minha coleção e eu valorizo ela.










16 - Qual foi a maior loucura que você já fez por uma miniatura ? Qual foi o maior valor pago por um modelo ? E qual é a sua “Menina dos Olhos” a mais importante do acervo ?
R.: Seria mais uma tortura do que loucura, um dia navegando pela internet vi uma imagem de um carrinho que vinha com um tênis os dois tinham o mesmo desenho, achei muito interessante e queria ter na minha coleção, procurei por muito tempo até o dia que encontrei num site de vendas da Argentina, mas o vendedor não vendia para quem não era do país dele ai sai na caça de um brasileiro que morasse lá nas redes sociais e pedindo para o argentino guardar a mercadoria e ele dizia que enquanto não houvesse outro interessado estava guardado, finalmente encontrei uma pessoa que me ajudou e enviou para mim, quando a mini chegou em casa com o tênis meu filho queria a mini e eu disse que só dava o tênis que era n° 34 e ele calçava 31, ele chorou, chorou, chorou e a mini está comigo até hoje, mãe ruim né...
Com relação ao valor pago numa mini eu sempre me controlo, por mais que eu goste do modelo e o preço certo for alto não pago não, tenho outras prioridades, nunca passei dos R$ 100,00 para comprar uma mini.
Todas são as meninas dos olhos, mas acho que esse título sempre fica com o último carrinho adquirido, é a novidade da coleção no momento, eu valorizo muito as minis que ganho de presente de pessoas que me dão sem motivo algum como data de aniversário, dão por consideração a nossa amizade.


17 – Você tem um lugar ou local especial na sua casa ou escritório onde você expõe suas miniaturas ?
R.: Como somos uma família de colecionadores ter um espaço especifico em casa é difícil mas tenho algumas minis na cabeceira da minha cama.
18 – O que você achou quando descontinuaram a Série Básica Matchbox para o Brasil ? Qual a sua opinião sobre esta marca ? Você coleciona Matchbox ? Qual as Séries Collectors que você sente falta no Brasil ?
R.: Uma fatalidade para os colecionadores principalmente dos que já curtiam os carrinhos desde de criança, eu acho os Matchbox carrinhos de alta qualidade em detalhes, eram carrinhos baratos, eu tenho cerca de 100 Matchbox.
Na verdade sinto falta de todas as séries pois em todas sempre havia um modelo que gostava.
19 – A pouco tempo você concedeu uma entrevista para a Veja SP, como chegaram até você ?, o que você achou da entrevista ? O que na sua opinião faltou ser dito nesta entrevista ? Você acha que finalmente nos descobriram ? Ou foi apenas mais uma matéria sem importância para o nosso Hobby ? Aqui você pode falar o que quiser...
R.: Eu que entrei em contato com a repórter depois que o Marcelo Tomanik postou no fórum do Clube Hot Whees Brasil o email que ele recebeu da repórter da Veja querendo entrevistar colecionadores na capital de São Paulo, como ele não mora na Capital ele divulgou o email que recebeu, então liguei para a repórter e me ofereci a ajudar a selecionar os colecionadores e comentei sobre minha coleção, como esse hobby é mais relacionado aos homens ela achou interessante em publicar a minha entrevista.

Foi uma entrevista mais voltada ao colecionador do que na coleção em uma edição especial da Veja sobre carros, poderiam ter acrescentado mais? sim mas como já haviam me passado que a reportagem era sobre o colecionador e não a coleção em si.

Somos nós que temos que fazer descobrirem o nosso hobby, expor as coleções, mostrar o motivo da coleção como nos encontros de carros antigos onde quem tem um carro bem conservado com mais de 40, 50 anos de uso expõe o carro no evento para que todos admirem, na verdade o que se destaca é o que está em evidência naquele momento para podermos ser “descobertos” e como o assunto da edição especial eram carros nosso hobby também faz parte.

Achei a entrevista muito importante sim por mais simples e curta que seja.

20 – Além das miniaturas de carros de metal, o que mais você coleciona ?

R.: MICKEYS, Adoro o personagem da Disney o Mickey Mouse, mas aquele que só veste o shorts vermelho.


21 - O que mudou na Mônica do seu começo no colecionismo diecast para os dias de hoje ? Houve alguma mudança significativa ?
R.: Sim houve uma mudança mais com relação a minha família, ficamos mais unidos (apesar de algumas discussões quando encontramos um só TH), antes meu filho ficava no quarto brincando, marido assistindo futebol e eu nas tarefas de casa, quando saiamos para ir ao shopping comprava o que precisava e voltava para casa, depois do inicio do hobby além de ficar na caça sentados no chão das lojas de brinquedos, vamos juntos aos encontros de colecionadores, ficamos juntos na frente do computador vendo as novidades, espalhamos nossas minis em casa para ver qual esta faltando ou sobrando, até com os amigos a relação mudou eles também acabam entrando no espírito do colecionismo quando vão em casa ou até mesmo quando saímos juntos para comer em algum lugar depois sempre acabamos indo numa loja de brinquedos.




22 - Qual é a pergunta que nunca ninguém te fez, e você gostaria muito de responder, fique à vontade ?
R.: Como é participar de um hobby que é mais voltado ao mundo masculino?
Nunca tive grandes problemas mas sinto que algumas pessoas não me vêem como uma pessoa normal ou melhor dizendo como uma mulher normal, por mais que as mulheres se envolvam no mundo dos carros ou algo mais relacionado aos homens mesmo nos dias de hoje ainda se tem o olhar machista até mesmo pelas mulheres, percebo algumas críticas também pelos carrinhos serem brinquedos, muitos julgam que como uma mulher de 40 anos com filhos fica se preocupando com coleção de carrinhos...




23 - Qual a dica que você poderia dar para os colecionadores que estão começando, e que ainda não sabem por onde seguir?
R.: Acho que a principal dica seria ter um foco em sua coleção, não comprar todas as minis que aparecem nas lojas, acho que a maioria já olhou para sua coleção e viu uns carrinhos e se perguntou – por que comprei esse carrinho esquisito? – ai você resolve fazer uma limpa na sua coleção e percebe que mais da metade não é do seu gosto, outra dica seria em pesquisar qual o valor máximo que se deve pagar nos carrinhos e que se ele tiver paciência ele vai encontrar a mini desejada por um bom preço em outro dia, não comprar por impulso.

O Blog Hot Kengas fica muito agradecido com a atenção que nos foi dada pela entrevistada, e com a possibilidade de poder compartilhar com colecionadores do Brasil e do Mundo suas experiências dentro do nosso hobby e o acervo de miniaturas de sua Coleção.
A Entrevista foi públicada na integra e todas as fotos desta matéria foram cedidas pela entrevistada .

8 comentários:

  1. A Monica é uma pessoa maravilhosa prestativa e ajuda muito os colecionadores um grande abraço a ela e a Vc com esta iniciativa de entrevistarem os colecionadores .

    ResponderExcluir
  2. Muito bom adorei a entrevista e os carros... Valeu

    ResponderExcluir
  3. belissima coleção. sou apaixonados por carrinhos rosa!

    ResponderExcluir
  4. mt boa entrevista com certeza vai me ajudar mt daqui pra frente em relação a minha coleção

    ResponderExcluir
  5. queria agradecer ao Silvio do HK por divulgar um pouco sobre minha vida de colecionadora que não é fácil não mas adoro tudo que é relacionado, bjus.
    Mistery

    ResponderExcluir
  6. Chezoom e Cadzilla !!! Nada fraca essa mulher !! Parabéns Mônica pelas ótimas e sensatas respostas !

    ResponderExcluir
  7. Muito legal saber que o evento do Clube de Regatas Tietê foi importante para a Mônica.
    Esse evento foi um grande acertou e o início da história de vários colecionadores e o início dos eventos do CPCVM. Parabéns pela entrevista e pela grande colecionadora

    ResponderExcluir
  8. Monica Mistery e Silvio,
    Parabéns pela entrevista!!!
    Entrevistador e entrevistada brilharam nas perguntas e respostas!!!
    Espero poder revê-los o mais breve possível.
    Grande abraço da Bahia,
    KHABELLO

    ResponderExcluir