CCXP 2017

CCXP 2017
Um Click no Banner e vá direto para o Site do Evento

domingo, 1 de julho de 2012

ENTREVISTA COM O COLECIONADOR BAIANO LUIZ CARLOS BERENGUER CASTRO (KHABELLO)


 
ENTREVISTA COM O COLECIONADOR BAIANO LUIZ CARLOS BERENGUER CASTRO (KHABELLO)

Luiz Carlos Berenguer Castro, KHABELLO, 44 anos, baiano de Salvador, casado há 13 anos com Liliana e pai de Bernardo (12 anos), Administrador de Empresas com Pós Graduação em Marketing, trabalha na Bahiatursa (Empresa de Turismo da Bahia) e torcedor do Esporte Clube Bahia.

ENTREVISTA


1 - Quando, Como e porque você começou a sua coleção?

R.: Antes de começar a responder qualquer coisa nessa entrevista, gostaria de agradecer aos nobilíssimos amigos e administradores do HK pela oportunidade.  Para mim é uma honra ser entrevistado por vocês.
Mas vamos lá...

Quando meu filho tinha 2 anos, ou seja, há 10 anos atrás, eu comecei a comprar carrinhos para ele. Com isso eu passei a pesquisar na internet e entender um pouco mais sobre o Diecast Colecionismo.  Depois, me cadastrei em alguns grupos e fóruns e aí não parei mais. Esse hobby passou a ser de toda a minha família, inclusive da minha mulher Liliana que também coleciona carrinhos cor de rosa, lilás e alguns temáticos.

Quando eu era pequeno tive algumas minis Matchbox Lesney, que na verdade eram tratadas muito mais como brinquedos do que objetos de coleção.












2 - Quantas miniaturas você tem em sua coleção? Como você às acondiciona? Qual a “Menina dos Olhos” a sua preferida?

R.: Tenho aproximadamente 500 minis, sem contar com as de Liliana e as de Bernardo.  Guardo todas elas em caixas plásticas, mas espero em breve ter um local para colocá-las em exposição.  Não tenho uma miniatura preferida, pois na minha pequena coleção eu só tenho o que realmente gosto e posso ter.

3 - Qual o foco de sua coleção? Qual a sua escala preferida? E a marca?

R.: Minha coleção é quase toda formada por Fuscas, Kombis, Karmann Ghia, Nascar e algumas outras minis nas escalas 1/87 e 1/72 das marcas Schucco, High Speed, Welly, Cararama, Malibu, Winners Circle e HW.  Tenho também minis na escala 1/64 que ganhei de presente de amigos colecionadores (com blisters assinados), customs e miniaturas das convenções realizadas no Brasil.











4 - Como é a cena do colecionismo diecast na Bahia? Existem encontros de colecionadores por ai?

R.: Aqui em Salvador-Bahia nós temos um grupo com aproximadamente 20 pessoas chamado Miniaturas Bahia.  Todas as quartas feiras nos reunimos num barzinho anexo a um posto de gasolina para jogarmos conversa fora. Nesse encontro acontecem vendas, trocas, rolos e exposição das miniaturas.  Também costumamos (pequena parte do grupo) comer feijoada ou mocotó aos sábados de manhã cedo.  Os encontros das quartas sempre acontecem independentemente do número de participantes presentes.  Tem dias que vão mais e dias que vão menos colecionadores, de acordo com os compromissos pessoais de cada um.  

Hoje temos quatro participantes do nosso grupo morando fora da Bahia por motivos de trabalho (dois na Argentina, um em Vitória-ES e um em Fortaleza-CE).  Participam ainda dos nossos encontros esposas, namoradas e noivas e os filhos dos colecionadores. Também não é raro nos reunirmos para jantares, comemorações de aniversários, assistir lutas do UFC, corridas, etc. Todos os finais de ano rola uma confraternização com amigo secreto onde todos participam.  Na nossa última confraternização de final de ano sobrou tanta carne que depois tivemos que organizar um “segundo tempo” do churrasco. Sempre que somos convidados por lojistas e shoppings da cidade, temos a maior boa vontade de expor nossas miniaturas. 

Agora aqui em Salvador temos também um encontro mensal na loja Zás Trás do Caminho das Árvores, cujas sócias, jovens e inteligentes empresárias, fizeram um espaço anexo à loja para atividades diversas direcionadas ao público infantil.  Nesse espaço ocorrem nossas exposições e encontros mensais.  Na Zás Trás hoje podemos encontrar marcas mais nobres de miniaturas a exemplo da Greenlight, M2 e Califórnia Toy, pois as proprietárias nos ouviram e rapidamente atenderam as nossas solicitações.   

A cada nova edição (já realizamos três) desse encontro, miniaturas novas e lançamentos estão a nossa espera.  Parabéns prá essas meninas!!!



 


5 - Você consegue as miniaturas para a sua coleção no mercado baiano ou você recorre a outros meios?

R.: No mercado baiano, só quando algum colecionador daqui trás de fora para vender... rs.rs.rs. Normalmente compro em São Paulo, no ML, nos encontros e convenções e encomendo aos parentes e  amigos que viajam para  ou moram no exterior. 

6 - Quem são os colecionadores mais atuantes na Bahia? Você os conhece pessoalmente? Fale sobre eles?

R.: Como disse anteriormente, temos um grupo bem unido aqui na Bahia que se reúne religiosamente todas as semanas.  Todos que fazem parte desse grupo são atuantes independente das suas respectivas quantidades de miniaturas, marcas, temas, escalas, etc. Conheço e sou amigo de todos que fazem parte do grupo  Miniaturas Bahia.   

Não podemos falar de Colecionismo Diecast na Bahia sem falar do nosso Mestre Moacy Neves, um dos maiores colecionadores do Brasil com mais de 30.000 miniaturas e grande conhecedor do assunto, além de ser uma pessoa extremamente honesta, íntegra e séria. Um grande amigo.  O escritório do Moa é uma atração turística imperdível na Bahia para aqueles que curtem os carrinhos.

7 - Você já participou de alguma convenção ligada ao colecionismo diecast? Onde e Quando?

R.: Sim, de alguns.   Rock Wheels (Curitiba / julho de 2009), 1ª COLECON (São Paulo / maio de 2011) e ainda no ano de 2011 estive no Encontro do Ma3 Custom e Diecast, no Encontro dos Colecionadores do CHWB no Kart In e no Ponto de Encontro Semaan, todos em São Paulo-SP.  Ainda em 2011, estava voltando da cidade de Santa Cruz do Sul-RS onde trabalhei na prova de Stock Car e consegui passar rapidamente no Encontro da Big Festa em Porto Alegre antes de pegar o avião e retornar para Salvador.
















8 - No ano passado 2011, aconteceram 02 grandes eventos independentes no Brasil, você participou de algum deles? Se participou o que você achou? Qual a sua opinião sobre estes eventos?

R.: Participei da 1ª COLECON.  Achei um evento maravilhoso em todos os aspectos, local, espaço, estrutura, organização, formato, miniaturas oficiais do evento, camisas, etc. Lamento que no jantar beneficente poucos tenham aparecido. Era para estar lotado, independente do tipo de comida ou do restaurante escolhido, mas sim pelo caráter social da ação.

Acho que os eventos independentes são bem melhores  pois são muito mais democráticos do que os outros.  Você pode expor o que quiser vender o que quiser e arrumar as mais diversas parcerias sem estar ligado a nenhum rótulo ou marca. São eventos que tem espaço para todos.

9 - Você tem opinião formada quanto à atuação da Mattel no mercado de colecionáveis no Brasil?

R.: Sinceramente, eu gostaria de saber o que passa na cabeça dos executivos dessa empresa quando o assunto é mercado de colecionáveis no Brasil. Não entendo a política deles para preços praticados em alguns itens (mesmo tendo consciência da alta carga tributária cobrada no Brasil).  Por exemplo, nos EUA a diferença de preço entre uma mini da serie Garage e outra mini da série Delivery não chegava a 1 dólar. No Brasil, um Garage custava R$ 12,99 e um Delivery custava R$ 19,99, ou seja, R$ 7,00 de diferença que correspondiam a mais de  4 dólares na época.  Vá entender!!!  Outra coisa, quais os critérios de escolha do que importar para o Brasil? O que vemos são séries incompletas (chegam um ou dois waves e depois param), quantidades absurdas de uma mesma wave de uma determinada série, o que provoca o encalhe e consequentemente uma queima de preço para vender.  E ainda tem questão dos Matchbox cujas minis chegam a outros países da América do Sul que com certeza não tem o potencial nem o número de colecionadores que o Brasil tem.

Essa empresa fabrica Hot Wheels que é uma das marcas mais famosas e populares dentro do colecionismo mundial.  No Brasil, os colecionadores de HW superam os colecionadores de miniaturas diecast.  Mesmo assim, não vejo nenhuma preocupação da Mattel para com os colecionadores brasileiros. Nada tem uma continuidade.  Cadê as lojas Collectors, por exemplo?  A Mattel hoje só se preocupa em abastecer o Brasil com os mainlines, o resto é apenas uma espécie de “cala a boca”.

10 - O que você achou das atitudes tomadas pela Mattel no final de 2010 e início de 2011 com o fechamento do RLC-BR e o cancelamento da 4ª Convenção Anual Hot Wheels do Brasil que seria realizada em 2011?

R.: O RLC-BR chegou aqui no Brasil com um cardápio de minis encalhadas nos EUA, ou seja, foi uma tentativa de desovar o que não foi consumido no primeiro mundo.  Isso até me faz lembrar uma excelente banda baiana de Rock chamada 14º ANDAR que nos anos oitenta fez uma música chamada Diversão do Novo Mundo que dizia “nós vivemos no ontem deles e o hoje deles é o nosso amanhã”.

Não tenho informações econômicas e financeiras sobre o RLC-BR e não sei o real motivo do seu encerramento. Uma coisa eu sei: o procedimento do fechamento desse clube, com aquela promoção das miniaturas foi uma das coisas mais absurdas que já vi na vida.  A Mattel junto com aquela lojinha parceira não soube administrar as vendas de cerca de 30 itens diferentes.  Muitos compraram e não receberam as miniaturas e ainda suaram para receber o dinheiro de volta.  Aquilo foi um atestado de incompetência dos que estavam gerenciando o RLC-BR. Imaginem essa incompetente equipe (volto a lembrar que não soube gerenciar a venda de um mix de apenas 30 produtos) trabalhando num grande site de comércio!!!  Levaram mais de um mês após a minha compra para me comunicar que não tinham mais em estoque várias das miniaturas compradas por mim.  

Quando eu telefonava no SAC da Mattel (0800550780) era atendido por pessoas treinadas para enrolar e que não resolviam absolutamente nada.  Quando enviava um e-mail, recebia nada mais nada menos do que uma resposta padrão copiada e colada do tipo “sua solicitação foi encaminhada para o departamento responsável”.........KKK......... Ainda chamavam o departamento de responsável.  Naquela empresa, responsabilidade passou muito distante!!!

Quanto ao cancelamento da 4ª Convenção Anual Hot Wheels do Brasil, é mais uma prova do da não preocupação e da não continuidade das ações da Mattel para com os colecionadores brasileiros. 

Se o mundo está em crise, mas o Brasil é a “bola da vez”, porque não olhar com mais carinho e atenção para o mercado consumidor brasileiro?  Empresas dos mais diversos setores estão fazendo isso, exceto a Mattel.












 
11 - Você já viu um comercial na Televisão, Rádio ou Jornal falando de mainlines ou coleções adultas da Hot Wheels no Brasil?

R.: Não lembro ter visto comerciais sobre esse assunto.  O que tenho visto constantemente são reportagens diversas e em vários veículos de comunicação sobre o Diecast Colecionismo em todo o Brasil. Aqui na Bahia mesmo, no ano de 2007, fomos tema de reportagem num programa de variedades da TV BAHIA (Globo Local) chamado Rede Bahia Revista que vai ao ar todos os domingos após o Fantástico.  Segue o link para quem ainda não viu:
 
  
12 - Você acha que os colecionadores são tratados como deveriam?

R.: Depende.  Se analisarmos o tratamento da Mattel, minha resposta é NÃO.  Se levarmos em conta o tratamento dado pela grande maioria das lojas de brinquedos da Bahia e do Brasil, minha resposta continua sendo NÃO.  Porém se partirmos para avaliar o tratamento dado por empresas e lojas como a Semaan, Coleciona e California Toys, minha resposta é SIM.  Aliás, não poderia nunca responder a uma entrevista sobre Diecast Colecionismo no Brasil sem citar a California Toys, grande importadora de miniaturas que cada vez mais tem aumentado à variedade dos seus produtos importados e sem citar os meus nobilíssimos amigos, os Irmãos Mouawad, Marcelo (Semaan) e Fernando (Coleciona).  Esses caras que eu já conhecia de vista da época em que comprava outros tipos de brinquedos para o meu filho Bernardo, se tornaram meus amigos depois que me tornei colecionador e passei a frequentar as lojas deles um número maior de vezes . Para mim, são os melhores empresários de colecionismo do Brasil. Sou sempre muito bem atendido pelas excelentes e competentes equipes de vendedores da Semaan e da Coleciona (não citarei nomes, pois posso me esquecer de alguém). E tem mais, são empresários que sabem ouvir e atender às necessidades do consumidor/colecionador (vejam o exemplo dos sites de vendas deles) estimula o hobby na medida em que organizam encontros de colecionadores dentro dos seus estabelecimentos comerciais, facilitam a forma de pagamento, praticam preços justos, e acima de tudo são pessoas trabalhadoras, íntegras, sérias e honestas.

13 - Existe vida além da Hot Wheels, qual é a sua opinião?

R.: Lógico que existe!!!  Como disse anteriormente, apesar da Hot Wheels ser a marca mais forte e popular de miniaturas (embora não seja a melhor) e apesar de vivermos num país onde os colecionadores de HW superam os colecionadores de miniaturas, tem muita coisa nova surgindo no mercado e dando mais vida às coleções de muita gente.









 
14 - Qual a marca ou as marcas que poderiam entrar ou que já estão no mercado de colecionáveis brasileiro e preencher as lacunas que ainda estão abertas?

R.: Tem muitas!!!  Oxford, Schucco, Winners Circle, Cararama, Malibu, Kyosho, MiniChamps, M2, Greenlight, Johnny Lightning, Tomica,  EVO Kustomcity, Jada, etc. Acho que temos mercado para todas as marcas, preços e escalas. 











15 - Se você tivesse o poder de mudar alguma coisa no colecionismo nacional brasileiro o que faria?

R.: Reduziria as tarifas de importação das minis para possibilitar aos companheiros colecionadores um acesso às minis de melhor qualidade por preços menores.

16 - Você acha que é possível fazer amigos sinceros e sem interesse no nosso hobby?

R.: Acho sim e afirmo que tenho grandes amigos que conheci através do hobby. Costumo sempre falar e volto a repetir que a minha mais nobre coleção é a dos amigos que fiz através do Diecast Colecionismo.  E eu ainda tenho a sorte de conhecer e rever muitos desses amigos com certa frequência, pois viajo muito a trabalho pros mais diversos lugares do Brasil. Aonde eu chego dentro desse país, tem sempre um novo ou um velho amigo colecionador. No Rio de Janeiro e em São Paulo não fico mais hospedado em hotéis.  Fico nas casas dos nobilíssimos Xarás Luís Gustavo Prado (RJ) e Luiz Trigo (SP), amigos que fiz no nosso hobby.

 

17 - Qual a dica que você poderia dar para os colecionadores que estão começando neste nosso hobby?

R.: Não vá com muita sede ao pote.  Colecione por prazer, colecione o que te agrada e aquilo que você pode comprar.  Quantidade não é qualidade.  Colecionismo é um hobby e não uma disputa de quem tem mais e/ou melhores minis. Entre e participe dos fóruns de colecionadores e leia os excelentes blogs que temos no Brasil e no mundo. Será um excelente meio de você se informar sobre tudo que está acontecendo no hobby, lançamentos, séries novas, séries extintas, etc. Procure sempre prestigiar os eventos ligados ao hobby tais como exposições, encontros e convenções e lembre se que a melhor coleção que podemos ter é a de amigos e não a de carrinhos ou as de quaisquer outros objetos.

COLUNA DOIS PONTOS: Khabello é o tipo de pessoa que todos gostam, é um cara de fácil acesso, engraçado, inteligente, amigo dos amigos, e um cara sempre disponível para ajudar, particularmente já conversei com muitos colecionadores de todas as partes do Brasil, e são só elogios à este grande Colecionador, grande Baiano, grande Pessoa...

Além de levar o nome da Bahia a todos os cantos do nosso território, é um cara que esta sempre disposto a desenvolver e executar ações em prol do Colecionismo Diecast Brasileiro ao lado de outros colecionadores da Bahia.

Gostaria de dizer, parafraseando as suas próprias palavras, que a honra por esta entrevista é toda nossa, um abraço e até a próxima... 

 

14 comentários:

  1. Grande Khabello! Um excelente amigo e ótima pessoa.

    Espero reve-lo em breve aqui em Curitiba!

    ResponderExcluir
  2. Grande cara.....ótima entrevista!!!!Abraços

    ResponderExcluir
  3. Qd leio esse tipo de entrevista me vem um misto de alegria e de tristeza, pq na mh cidade não tem ngm que tente organizar encontros e por muitas vezes até nos colocam pra baixo dizendo:
    Isso não vai dar certo! Vamos fazer exposições onde e como!!
    Gente pra que colecionar então? Se as miniaturas sempre estão em caixas ou expostas em um quartinho escuro.
    vamos nos mexer e mostrar que em nossa cidade que por sinal tem um nm legal de colecionadores tem gente que coleciona e não tem vergonha de fazer oq faz!! Se vc coleciona, não se sinta mal com isso, pq a essencia de tudo no final é fazermos amigos pra nos divertirmos juntos!! Espero que algm leia isso e tome uma atitude pq do jeito que está não pode continuar!!
    fica a dica para os nobres colecionadores da cidade do sul de Minas (Machado), vamos nos unir!!!
    Tomem coragem.
    Por outro lado fico feliz pq vejo que pessoas corajosas são felizes com esse hobby e fazem amigos por onde passam.
    Parabéns ao Luiz Carlos
    Quam vos fala é Luiz Paulo, um colecionador mineiro que está sozinho nessa cidade cheia de colecionadores, mas que não se juntam por nada nesse Mundo.
    Me ajudem pessoal!!
    Abraços a todos

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Bela entrevista, parabéns aos amigos Silvio e Khabello pelo belo trabalho !!!

    O Khabello, além de ter este carisma que o Silvio bem destacou, é um dos colecionadores que mais conhece o colecionismo de vários pontos do Brasil , e por isso mesmo é uma figura importantíssima nesta integração nacional !

    Para os centros e ou cidades ( como o Luiz Paulo citou ) que não possuem uma cena tão atuante, fica a dica de conversar com os lojistas locais até encontrar algum que abrace a causa, como as moças da Zas Tras baiana.

    Aliás Silvio, será que elas têm Welly, Johnny Lightning e Guisval por lá ?

    Fica tb um agradecimento em nome do Fernando, meu irmão, da Coleciona, que imagino não vá conseguir responder assim tão rápido, mas que me honra pra valer sermos citado como o Khabello citou.

    Abraços a todos, especialmente ao nobilíssimo entrevistado nesta matéria !

    ResponderExcluir
  6. Grande Khabello, além de Colecionador é vendedor de bambu para varal a 1 real lá na Bahia!!!!!kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  7. blz de matéria....falou tudo q todos nós qeriamos falar p Ma(la)ttel... aqui no maranhão o colecionismo ainda não é valorizado como por exemplo é na bahia, mas um dia a gente chega lá.... parabens...

    ResponderExcluir
  8. E aê Peçonha!!! rs.
    Grande entrevista, mestre!
    Abordou bem as dificuldades de ser colecionador num país sem muitas opções de compras e marcas e com empresas madrastas como a Mattel!
    Grande abraço tb à produção do HK pela entrevista!

    ResponderExcluir
  9. Grande Khabello, é um prazer ser seu amigo e ver que voce continua o mesmo cara de sempre, alegre, descontraído e sempre disposto a ajudar os outros colecionadores. faltou você falar da cocada da Bahia que você leva nos encontros em outros estados...heheheh...abraços.

    ResponderExcluir
  10. Grande Khabello !!!
    Adorei a entrevista !!! Fico feliz em saber que pessoas bacanas ainda são maioria no nosso hobby.
    Abração.
    Elvis.

    ResponderExcluir
  11. Nobilíssimo Khabello, é um prazer conhece-lo e partilhar do mesmo hobby com uma pessoa tão gente boa como voce.Parabéns pela entrevista.
    Grande abraço
    Evandro CANELI

    ResponderExcluir
  12. Parabéns pela belíssima entrevista!
    Com certeza, o Khabello é uma figura indispensável ao Colecionismo Diecast no Brasil.
    Minha coleção tem diversas peças adquiridas com total apoio dele, que sempre esteve disposto a ajudar na busca por qualquer tipo de modelo, independente da escala ou fabricante.
    Parabéns Hot Kengas e ao Nobilíssimo Khabello!
    Um grande abraço...
    Rafael Afonso Busanello.
    Erechim - RS

    ResponderExcluir
  13. Parabéns pela entrevista Kbelo, tudo de bom pra vc e toda sua familia!! abraço do seu amigo de Brasilia-DF

    ResponderExcluir
  14. Tive a honra de conhecer o Khbello numas férias em Salvador. É uma grande pessoa, muito atenciosa e gentil. Por seu intermédio, pude conhecer um pouco da coleção do Moa, de quem já comprara, há bastante tempo, vários Ford GT40 da Jada, via Mercado Livre. Por seu intermédio, pude adquirir um lote de pickups 1:64, do Garrido. Também conheci em Salvador, o Carlos Ribeiro. Gentes finíssimas! Apareçam aqui em BH, também! Prestigiem o nosso Miniatura Esporte Clube! Forte abraço, meu caro! Stefanelli

    ResponderExcluir